10 janeiro 2006

Veneno: a mais cobarde e mortal das armas

Uma das principais ameaças à fauna Ibérica é o uso indiscriminado de veneno como forma de exterminar os chamados "animais daninhos", vulgo predadores.
Principalmente nas montanhas do Norte, onde ainda resiste o Lobo (Canis lupus), a sua utilização é bastante frequente.
O veneno é uma arma "cega", visto que ameaça de forma transversal todos os carnívoros. Entre o rol de vítimas, e para além do supra-citado lobo, contam-se as nossas últimas Águias-reais (Aquila chrysaetos), Águias de Bonneli (Hieraaetus fasciatus) ou Abutres-do-egipto (Neophron percnopterus). Com efeito a estricnina, os rodenticidas e os insecticidas são capazes de exterminar rapidamente e de forma absoluta os animais mais representativos de um determinado ecossistema.
Mas há pessoas e entidades determinadas em combater esta calamidade. O Programa Antídoto é uma plataforma que reúne as principais associações ecologistas portuguesas e que desde 2004 tem assumido um importante papel na divulgação e sensibilização das populações e autoridades competentes.
Como parte integrante de um movimento cívico em prol da nossa fauna mais ameaçada, o blogue Fauna Ibérica associa-se à mensagem do Programa Antídoto e recomenda vivamente a visita ao seu web site (www.antidoto-portugal.org).

2 comentários:

!dia sim! dia Não! disse...

Sem dúvida a arma mais cobarde e mais revoltante...

Anónimo disse...

Parabéns pelo artigo, continuem a divulgar as atrocidades que os nossos "caçadores", continuam a fazer.Tenho animais em casa, vivo ao lado do monte e todos so dias é um sufoco, pois há muito venene e armadilhas de laço que não deixam que alguma especie sobreviva. Obrigado