15 junho 2007

Evolução das populações de aves de rapina na Península Ibérica (5)

Mocho-d´orelhas (Otus scops) adulto.
(continuação do post anterior)

A Coruja-das-torres (Tyto alba) é uma das aves de rapina nocturnas mais comuns. É frequente avistá-la em voo a baixa altitude sobre as estradas que atravessam prados e campos agrícolas, o que a torna vítima frequente de atropelamentos. Estima-se que em toda a Península Ibérica existam entre 50 a 100 mil casais reprodutores, especulando-se que a sua população esteja em declive devido ao abandono das actividades agrícolas tradicionais e ao uso de pesticidas. No "Libro Rojo de los Vertebrados de España", editado em 2004, considera-se que esteja "Em Perigo de Extinção". Curiosamente no "Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal", editado em 2006, o seu estatuto de conservação é de "Pouco Preocupante"...

O Mocho-d´orelhas (Otus scops) é a mais pequena das rapinas nocturnas ibéricas. Visita-nos no Verão enchendo as noites com a sua belíssima vocalização. É mais comum a Norte de Portugal que no Sul e prefere as zonas de baixa altitude evitando os maciços montanhosos. Entre os anos 2000 e 2005 a sua população peninsular manteve-se nos 30 mil casais reprodutores contudo a informação sobre a espécie é escassa o que dificulta a determinação da sua viabilidade a médio/longo prazo.

(continua no próximo post)

3 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado por colocar esta informação. Espero que continue a colocar neste blog assuntos
do interesse dos amantes da Natureza.

Eduardo Barrento disse...

A foto é mesmo de um Otus scops? Desde há 3 anos que acompanhado um casal nidificante e parecem-me bem diferentes... quando está inquieto levanta ligeiramente os dois lados da cabeça e não as "sobrancelhas" como nesta foto. As crias sim, parecem um pouco mais como esta...

http://www.barrento.com/blogue/index.php?catid=2&blogid=1 Podem ver aqui algumas fotos...

Anónimo disse...

Trata-se realmente de um Mocho D'Orelhas, salvamos um com a asa bem quebrada... colocamos um pino de titanio dentro do osso da asa direita pois não tinha como colar visto o estrago.. Ibama não me da autorização para criá-la, porém uma anterior capturada machucada na mesma indústria da região foi ignorada pelo Ibama e morta por falta de tratos.. esta está comigo a 3 dias e se recuperou.. já come bem e taaalvez possa voar daqui um tempo !
fotos copiem o link abaixo

http://farm2.static.flickr.com/1048/986389549_0fbd6cc216.jpg?v=0