07 dezembro 2007

A morada do Esquilo


Ninho de Esquilo (Sciurus vulgaris) em local privilegiado de uma área protegida do Norte de Portugal.

O Esquilo (Sciurus vulgaris) colonizou recentemente grande parte do Norte e Centro de Portugal. A sua distribuição corresponde principalmente a florestas caducifólias de Carvalho (Quercus robur e petraea), Faia (Fagus sylvatica) e Castanheiro (Castanea sativa) bem como pinhais de Pinheiro-bravo (Pinus pinaster) e Pinheiro-silvestre (Pinus silvestris), encontrando-se ausente dos montados de sobro (Quercus suber).
Embora este pequeno mamífero não hiberne verifica-se que a sua actividade reduz-se substancialmente nos períodos mais frios podendo passar vários dias no ninho quando as condições climatéricas são rigorosas.
Caminhando num dos raros pinhais de pinheiro-silvestre do nosso país pude observar uma destas "habitações", localizada como habitualmente a grande altura do solo (a mais de 8 metros) apresentando uma característica forma esférica de aproximadamente 30 cm de diâmetro. Conforme se constata na imagem a estrutura é constituída por pequenos ramos e paus que o animal recolhe no solo e possui uma abertura inferior à prova de intempérie.
Devido à actividade eminentemente diurna o nosso esquilo recolhe à sua morada principalmente para passar a noite. Apesar do aspecto acolhedor talvez lhe falte o aquecimento central para os meses que se avizinham...

32 comentários:

Anónimo disse...

Uma altura tb caminhava pela floresta e avistei um grande ninho curiosamente num pinus sylvestris, mas não sabia de que animal seria visto que ninhos de águia normalmente se encontram em escarpas.Fico contente por saber que são de esquilos!! Parabéns pelo blog. Já agora esse ninho que avistou não terá sido perto da Pedra Bela no Gerês??

miguelbarbosa disse...

Obrigado pelo comentário sobre o blog.
Este ninho não se localiza na Pedra Bela ou na Serra do Gerês mas com efeito na mesma área protegida.

Um abraço,
Miguel Barbosa

Hugo Cunha disse...

Boa tarde,

Em início de Setembro deste ano, numa ida à aldeia dos meus sogros (Lagoaça, Freixo de Espada à Cinta) em pleno PNDI, foi-me dito por locais, que tinham visto vários esquilos na região. Confesso que nas várias voltas que dei, não vi nenhum (felizmente vi alguns grifos). Será verdade?
Aproveito para registar que numa zona tão rica em fauna, não se veja um coelho (os meus sogros contam-me que eram as dezenas, quando iam para os campos), uma perdiz e daí se perceba, talvez que seja extremamente raro avistar uma águia, raposa, ou outros carnívoros.
Já vou a Lagoaça à alguns anos (vivo no Porto) e é com muita pena, que mesmo em sítios a que tenho acesso guiados pelos locais, não se veja mais fauna (à excepção de Grifos, Abutres do Egipto, Pegas Azuis, Cartaxos e outras aves de pequeno porte). Aproveito para endereçar a todos um voto de Feliz Natal e os parabén por este grande blog.

Cumprimentos
Hugo Cunha

dj_mix disse...

Olá!

O teu blog está fantástico! Parabéns!

Vou colocar o teu blog, nos links do meu blog. Abraço.

Anónimo disse...

Em alturas menos frias é usual avistar esquilos nas florestas mistas do Norte, principalmente de manhâ e ao final da tarde.Esqueçam procurar em eucliptais.

sergio_medeiros disse...

Ultimamente têm sido vistos muitos esquilos na zona da Serra de Sicó, algo inédito!!!!

Facto caricato, no ano passado foi retirado do fundo de um algar (gruta vertical) a 65m de profundidade um esquilo. Este encontrava-se já mais morto que vivo e apresentava algum sangue na zona da boca. Foi transportado para a superfície, e depositado em cima de um bloco de pedra, depois de estar +/-15min. ao Sol, despertou e pôs-se a andar em direcção ao pinhal.
O engraçado é como foi capaz de sobreviver à queda!!! E digo isto porque para chegar à profundidade de 65m é necessário transpor vários poços separados entre si por alguns metros.

Rui Rocha disse...

Avistei recentemente em Oliveira do Hospital esquilos no meio da cidade, em árvores. Fiquei surpreendido.

Bom blog, continua.

Anónimo disse...

Alguém sabe qual é o limite a Sul destes animais em Portugal? Com a excepção do Parque de Monsanto em Lisboa, os relatos mais a sul que encontrei na net são da zona de Pombal. Quantos anos (décadas) serão necessários para chegarem ao Algarve? Se não tiverem ajuda (exemplo de Monsanto) vai ser díficil

Anónimo disse...

Perto de Leiria ha esquilos e avistei um perto da variante LEIRIA-MARINHA GRANDE, mesmo na beira da estrada. Nem queria acreditar que podia ser um esquilo

Anónimo disse...

á esquilos a em albergaria-a-velha por favor digam-me

Anónimo disse...

respondao me se nao omeu morreu

Anónimo disse...

Em vários sites li que os esquilos recolonizaram Portugal desde o norte, já que entraram no Minho vindos da Galiza no final da década de 80. A sua fronteira a Sul parece ser a zona da Nazaré no litoral e a zona do parque natural do Tejo no interior.

Mas parece-me óbvio que os esquilos que já existem a sul da Coimbra têm origem na introdução que foi feita no Jardim Botânico de Coimbra (1994) e não a colonização natural vinda da Galiza. Uma vista de olhos no google earth dá para perceber que o jardim botânico tem uma "passagem verde" para as margens do Mondego, e daí, para fora da cidade. De certeza que poucos anos depois de 1994, já muitos esquilos tinham saído do jardim e começado a colonizar a zona à volta de Coimbra e daí toda a região centro, como acontece nos dias de hoje.

Agora a grande questão, será a sub-espécie de Coimbra a Sciurus vulgaris fuscoater (como parece ser a que colonizou o norte do país) ou Sciurus vulgaris infuscatus (como os libertados no parque de Monsanto)?

Luis Manso disse...

Ola, parabéns pelo blogue, estou a escrever para confirmar o avistamento do esquilo vermelho em Leiria. Já o avistei por duas vezes em locais muito distintos e distantes.

Uma foi a caminho de são pedro, Mata e estava morto na berma da estrada, outro viu ao crepúsculo a atravessar a estrada na zona dos soutos freguesia da caranguejeira Leiria.

Fiquei em êxtase com o avistamento pois não fazia ideia da sua existência tão próximo na minha casa. Em França estava habituado à sua companhia e pelo que parece irei velo por cá também. Parabéns pelo blogue.

Luís Manso
http://physalisperuvian.blogspot.com/

Anónimo disse...

Boa Tarde e parabens pelo Blog!

Sou um curioso da vida selvagem e ao procurar mais intel sobre esquilos no nosso pais reparei neste forum e nos comentários dos diversos participantes. Como sou uma pessoa que aprecia bastante estes animais trepadores, curiosos e irrequietos presto muita atenção quando os avisto. A primeira vez que avistei um esquilo foi no jardim botánico em coimbra em 1996, penso eu, mas mais recentemente já avistei esquilos em Santa Maria da Feira junto do castelo, em Sever do Vouga onde consegui fotografar um esquilo vermelho com o telémovél (foto de baixa qualidade). Por ultimo deliciei-me com uma enorme população destes animais nos jardins do Hospital Eduardo Santos Silva em Vila nova de Gaia. Neste local os equilos vermelhos abundam e deixam até que as pessoas se aproximem, sendo que é bastante vulgar ver locais de alimentação destes. Será que um animal destes em estado selvagem quando capturado aguentar-se-ia numa gaiola? Esta pergunta que faço é apenas uma curiosidade pois não me passa pela cabeça em capturar nenhum exemplar.

Anónimo disse...

Vi há cerca de doze anos pela primeira vez, um esquilo numa aldeia perto de Bragança. Agora há bastantes pelas mais diversas zonas do distrito. Ainda ontem, a cerca de 20 km de Bragança, vi um a atravessar calmamente a estrada, e que me levou a fazer até um travagem brusca para não o matar possivelmente.

Vasco disse...

Tenho visto alguns na Serra da Lousã - mas ainda em número muito reduzido. Seja como foi, parece que já deram com isto. Bom para eles ;)

Anónimo disse...

Já que falam nisso, uma amiga minha tem-nos visto nos pinheiros à volta de casa dela na zona da Caranguejeira-Leiria

Anónimo disse...

no dia 03/maio/2012,fiquei surpreendido,pois atravessou-se à frente do meu carro,um esquilo preto,(zona,v.n.gaia,freguesia de sermonde),era de manhã cedo,por sorte minha e dele consegui evitar o atropelamento,passou entre as rodas do carro e fugiu,não foi alucinação porque dois carros que vinham atrás de mim tambem viram.
esquilos castanhos já foram vistos naquela zona,mas pretos???????????????

José António disse...

Já avistei esquilos por várias vezes no meu terreno nas Pedreiras, Concelho de Porto de Mós, isolados e aos pares.

Crix disse...

Olá a todos

Em busca dos limites de distribuição deste esquilo em Portugal, vim aqui parar e aproveito para contribuir com uma observação de um exemplar um pouco mais a sul num pinhal na periferia de Caldas da Rainha.
Uma vez que há duas sub-espécies, como se distinguem?
Abraços

Anónimo disse...

Meus amigos, em leiria confirma-se a presença do esquilo.. vi um numa árvore mesmo perto do centro da cidade e quinze dias depois vi dois atropelados :( numa das avenidas mais movimentadas da cidade.
Eles andem aí ... :)

dinis disse...

Encontrei ontem um atropelado nos Marrazes (arredores de Leiria). Parecia-me um esquilo vermelho e apresentava-se muito bem nutrido observando-se a pelagem muito cuidada, sinal que se dá bem por estes lados... Infelizmente nao viu o perigo e acabou mal...

Anónimo disse...

Boa noite. Apenas para registar que tive a oportunidade de ver um esquilo vermelho, ainda ontem (5 de Outubro de 2012), num pinhal, com sobreiros, em pleno concelho de Rio Maior. Parece-me que é a localidade mais a sul aqui registada, com excepção dos introduzidos na Mata de Monsanto.

Anónimo disse...

Olá
Um dia destes, em Pedreiras, concelho de Porto de Mós, pela manhã avistei um esquilo preto no quintal da minha mãe, o pequeno animal pulava de árvore em árvore, mas a finalidade era mesmo colher umas nozes que ficaram esquecidas no cimo de uma nogueira. O malandreco assim que sentiu a presença humana desatou a fugir em direção a um pinhal ali perto!

Anónimo disse...

Viva

tão só para informar que tenho um rapaz incrivelmente bonito em casa (que recolhi na borda da estrada... já cadáver) !

o rapaz (a familia está por lá ... óptimas condições) estava super bem ... com um pelo maravilhoso !

Mário Carvalho


é um esquilo vermelho e foi encontrado na freguesia do Nadadouro a 500 metros da Lagoa de Óbidos ;)

Anónimo disse...

Viva

tão só para informar que tenho um rapaz incrivelmente bonito em casa (que recolhi na borda da estrada... já cadáver) !

o rapaz (a familia está por lá ... óptimas condições) estava super bem ... com um pelo maravilhoso !

é um esquilo vermelho e foi encontrado na freguesia do Nadadouro a 500 metros da Lagoa de Óbidos ;)

Mário Carvalho

Miguel Claro disse...

Hoje avistamos um esquilo vermelho na zona do Arelho, Lagoa de Óbidos. Tinha uma pelagem espetacular e parecia muito bem de saude. Deixou-se aproximar e andou por ali um bocado. Miguel Claro

Anónimo disse...

Há uma página a recolher informações sobre aonde os esquilos são vistos em Portugal.

https://www.facebook.com/pages/O-esquilo-vermelho-em-Portugal/547722785306913

Todos poderiam ajudar.

mviana disse...

A referência mais a sul que já encontrei é na Serra de Montejunto. Será que do outro lado do Tejo também já estão assim tão para sul? Vejo muitas referências encostadas ao Tejo, mas sempre do lado norte.

Anónimo disse...

Boas noite
Hoje 15 de maio de 2014 vi pela primeira vez um esquilo preto que fugiu de mim subindo um pinheiro bravo parando a meio(o mais engraçado) conforme eu o procurava andando a volta da árvore ele rapidamente se escondia do lado contrario. O local foi numa freguesia de Alberg.-a-Velha

Anónimo disse...

Também em final de Maio 2014 vi um esquilo preto lindo e grande que atravessou a estrada 234 junto a carregal do Sal (perto de zona habitacional) subindo uma árvore.

Anónimo disse...

Obrigada por este blog, está muito bem feito!
Eu vejo esquilos todos os dias na tapada da Ajuda em Lisboa, é possível avistá-los muito perto dos edifícios do ISA, muitas vezes atravessam os campos abertos através dos fios eléctricos, ou Fazem perseguições extraordinárias nas copas das àrvores. Já estão tão habituados às pessoas que a sua presença não é nada discreta, permitindo que nos aproximemos quase a menos de 1 m e há alguns que até vêm ter com as pessoas que lhes dão comida.