16 setembro 2008

Bufo-real: o grande predador da noite

Nesta fotografia é bem evidente a grande beleza do Bufo-real (Bubo-bubo).

O dia aproxima-se do fim nas fabulosas arribas do troço internacional do Vale do Douro. A Águia-real (Aquila chrysaetos), dominadora dos céus até esse momento, retira-se para um dos seus poisos favoritos, as Gralhas-de-bico-vermelho (Pyrrhocorax pyrrhocorax) escolhem a escarpa mais abrigada para passar a noite e os numerosos Pombos-das-rochas (Columba livia) reúnem-se em bandos nas árvores mais imponentes.
É o momento esperado pelo monarca da noite, uma ave de rapina com mais de metro e meio de envergadura, para iniciar o patrulhamento do território. Quando abre as asas e se lança em vôo ao longo de um dos mais belos canhões do mundo, não emite um único som: as penas especiais que lhe recobrem as asas tornam inaudível até a resistência do ar. Representa o auge da evolução em termos de capacidade de caça nocturna. É o Bufo-real (Bubo-bubo).
Nesta altura do ano, as crias nascidas em Março/Abril iniciam a dispersão a partir do território paterno. É uma altura difícil para estas jovens aves uma vez que ainda não dominam as técnicas de caça que permitem aos seus progenitores a capturas de presas tão distintas como coelhos (Oryctolagus cuniculus), micromamíferos ou raposas (Vulpes vulpes). Esperemos que a meteorologia clemente e a abundância de alimento permita que ao longo dos próximos anos se continue a escutar o característico pio nocturno (um bú-hu profundo) do principal predador alado nocturno da nossa fauna.

Nota: Pelos melhores motivos pessoais a edição deste blogue foi interrompida por cerca de 3 meses... mas agora está de volta.

6 comentários:

Anónimo disse...

beleza diabólica

Anónimo disse...

Boas,
Estive no passado fim de semana em Lagoaça, aldeia que pertence a Freixo de Espada a Cinta, e constatar uma vez mais a grande beleza do PNDI. É de facto um lugar mágico. Tenho a felicidade de poder ir para lá com assiduidade uma vez que tenho lá familiares e casa, mas a distância apenas me tem permitido visitar a aldei 2 x por ano. De qualquer forma é sempre um enorme prazer.

Pena a sua pouca divulgação e a falta de espaços para pernoitar em algumas zonas do parque.

Um grande abraço.

Hugo Cunha

pepe disse...

uma ausência realmente prolongada, mas com regresso oportuno!
um abraço

Anti-betão!!!! disse...

Chega de vender o nosso país a empresas sem escrúpulos!!!

NÃO À CIMENTEIRA DA AGUDA!!!!

http://www.thepetitionsite.com/1/cimenteira-em-figueir-dos-vinhos-aguda

Anónimo disse...

O rei das sombras. Os próximos 10 anos serão decisivos no que toca ao querer e a vontade de preservar tal belo animal. Sendo dos animais mais raros e dificeis de avistar ,estas imagens enchem-nos de alegria e esperança . Depois do grande urso ibérico (para falar em grandes predadores) temos o dever de respeitar toda os ecossistemas de forma a preservar o habitat dos nossos grandes predadores como o lobo ibérico ou mesmo a aguia real e a aguia imperial iberica!!

Anónimo disse...

Eu ja tive o privilégio de ver um na terra da minha mãe no alto alentejo....
Parque natural de sao mamede