08 março 2006

A Marta no Alto Minho - Conclusão

Um mustelídeo durante a noite e um Corço (Capreolus capreolus)
durante o dia passam defronte do mesmo carvalho, realçando a
tranquilidade que ainda existe nesta serra minhota.
.
Em Junho de 2004, após vários meses de trabalho de campo, consideramos terminada a primeira fase deste estudo. Tínhamos colocado câmaras fotográficas automáticas nos principais vales desta floresta do Alto Minho e determinado aqueles em que era frequente a presença de Marta (Martes martes), um mustelídeo do qual ainda pouco se sabe em Portugal.
As ameaças que este animal enfrenta estão na sua maioria relacionadas com o meio em que vive. O fogo, o corte de árvores, a fragmentação do bosque pela construção de novas estradas ou alargamento das já existentes poderão fazer perigar a evolução da sua população.
A maior ameaça contudo será provavelmente o veneno. Usado frequentemente pelos pastores locais com vista a eliminar o Lobo (Canis lupus) para diminuir os danos que este super-predador inflige aos seus rebanhos, o veneno é uma arma cega, que mata indiscriminadamente todos os predadores, incluindo a marta.
São necessárias medidas de sensibilização da população rural minhota alertando para os graves danos que a utilização do veneno provoca no meio ambiente e também uma vigilância eficaz das nossas áreas naturais mais importantes. Só assim será possível continuarmos a usufruir da presença deste pequeno mamífero, tão ágil e gracioso.
Termino com uma nota de optimismo. Em Novembro de 2005 foi possível confirmar a presença de marta numa floresta extensa contígua, já pertencente a Espanha (Galiza). As duas populações parecem estar em comunicação aumentado assim consideravelmente o número total de individuos e diminuindo a vulnerabilidade da população portuguesa.

4 comentários:

Hugo disse...

Bom trabalho! Continuem...

Abraço

Zoelae disse...

Gosto deste blog, continuem...aliás tb gostaria de fazer este tipo de pesquisas

!dia sim! dia Não! disse...

*****

Anónimo disse...

ESTREIA-DEBATE NO AUDITÓRIO DO EPRAMI - ESCOLA PROFISSIONAL DO ALTO MINHO INTERIOR, ESTRADA DOS ARCOS, MONÇÃO

O FILME PORTUGUÊS
"WAITING FOR EUROPE" DE CHRISTINE REEH
VAI ESTREAR EM MONÇÃO A 27 DE ABRIL,
PELAS 21.30H
COM A PRESENÇA DA REALIZADORA



O filme português “Waiting for Europe”, realizado por Christine Reeh e produzido pela C.R.I.M Produções, vai ser estreado em Monção, no Auditório do EPRAMI – Escola Profissional do Alto Minho Interior, Estrada dos Arcos, 4950-438 Monção, no dia 27 de Abril, ás 21.30h, com o apoio da Câmara Municipal de Monção e do Cineclube de Monção e com a presença da realizadora, integrado nas iniciativas da Feira do Livro de Monção.

“Waiting for Europe” (À Espera da Europa”), ganhou o Best International Documentary no Festival "The New York International Independent Film and Video Festival" (apresentação de Los Angeles) e está seleccionado para a competição em Nova Iorque em Julho.

O filme rodado em Lisboa, Alcalá de Henares, Sofia e Blavoegrado, acompanhou durante dois anos, Vânia, uma imigrante do leste europeu em Portugal e Espanha. Trata-se de um retrato intimista sobre a imigração feminina.


“Waiting for Europe”, rodado em três países, Portugal, Espanha e Bulgária, foi produzido com o apoio do Instituto de Cinema, Audiovisual e Multimedia (ICAM), da RTP, do Ministério da Cultura, dos Médicos do Mundo, da Universidade de Alcalá de Henares , da Universidade Fernando Pessoa, da Câmara Municipal de Blavoegrado, do Instituto de Cinema Búlgaro, da PROFILM (Bulgária) e da Associação Aibebalcan em Espanha.

O ACIME (Alto Comissariado para a imigração e Minorias Étnicas), o Banco BES (www.bes.pt /novos residentes), a Federação Portuguesa dos Cineclubes, Associação Bulgari, e as câmaras municipais, colaboram nas estreias-debate a realizar em Portugal.


As próximas estreias-debate do filme, com a presença da realizadora, Christine Reeh, estão previstas para o Auditório da Faculdade de Ciências Socias e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Centro de Estudos de Migrações e Minorias Étnicas) a 3 de Maio, pelas 15.00h; para o o Auditório Fernando Lopes Graça, em Almada, pelas 19.00h, integrada no V Campus Euroamericano de Cooperação Cultural; para Portalegre, no dia 22 de Maio; para o Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António, no dia 26 de Maio, pelas 21.30h; para o Cine-teatro em Sesimbra, dia 16 de Junho, pelas 21.00h.


O filme vai ainda ser estreado no Luxemburgo, a 8 de Maio, pelas 20.00horas, na Cinemateca de Luxemburgo, numa iniciativa conjunta da ASTI (Association de Soutien aux Travailleurs Immigrés) e da Cidade de Luxemburgo, com o apoio das duas centrais sindicais, da Associação de Amigos do 25 de Abril e ainda de associações de imigrantes portuguesas e búlgaras.


A revista "Cinema" da Federação Portuguesa dos Cineclubes, na sua edição Abril-Junho, nº37, publica um dossier sobre o "Waiting for Europe", que inclui uma entrevista a Christine Reeh, um artigo de André Martins, uma critica de Marta Mikolajczak, filmóloga polaca e um texto crítico de Paulo Duarte Teixeira, Presidente da Associação Jurídica do Porto e Magistrado Judicial. Na capa, Christine Reeh.



C.R.I.M Produções
Telf./Fax.218463284
Tm.918719003
crimproductions@netcabo.pt